domingo, 15 de fevereiro de 2009

Bitolas Cinematográficas ( largura do filme)

11 comentários:

lpzinho disse...

Este material todo do seu blog(e td o mais q vc tem nos pensamentos, memória e coração deveriam virar uma exposição! =)
Parabéns pelo conteúdo de sempre!!

Abraços e sucesso!

Daniel Savio disse...

Interessante, são sabia que havia tantos tipos de "fita" de filmes...

Mas imagino que seja devido aos vários tipos de máquinas de projeção, certo?

Fique com Deus, menino Armando e Lygia.
Um abraço.

Marco disse...

Ah... Que beleza... Lembrei dos meus tempos de Super 8...
Muito bom, Armando!
Você viu que eu recomendei dois amigos meus cinéfilos (um deles foi meu professor na faculdade de Comunicação social) para vir aqui se deliciarem com seus posts? Pode retribuir a visita sem susto que são pessoas do bem.
Um abração! Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

lesadosemgeral disse...

Vc deveria juntar tudo isso , arrumar de maneira a virar uma exposição.
Dê um nome, faça como evento a colaborar com alguma entidade social, chame a imprensa e vai fazer sucesso.
Ou um "workshop" sobre o assunto.
Cinéfilo mesmo!

Bruno M. Oliveira disse...

Muito bom seu blog, Armando.

Não conheço nada da parte técnica de cinema, mas tenho vontade de aprender.

Abraço.

André Setaro disse...

Ilustrativo e bastante esclarecedor este post sobre as bitolas. A desinformação sobre estas faz com que os espectadores não percebam quando o filme está sendo exibido cortado nas suas extremidades, a exemplo do que ocorre no Telecine Cult, que passa filmes originariamente realizados no formato cinemaScope na abominável tela larta ("full screen"), um atentado, sem dúvida, à integridade da obra cinematográfica.

Mas, e quanto ao VistaVision? Soube que os cinemas brasileiros nunca adaptaram seus projetores para este formato patenteado pela Paramount. Somente agora estamos podendo ver o VistaVision através dos Dvds (os filmes de Hitchcock a partir dos meados dos 50 são todos neste formato).

Nirton Venancio disse...

Caro Armando,
passando por aqui pra viver o cinema em sua pureza. Seu blog sempre me dar essa sensação, esse prazer.
Eu que faço cinema sinto muito a falta do cheiro das latas de celulóide. Mas tenho que entender e aceitar a realidade asséptica do digital.

Valeu seu comentário no Olhar sobre os filmes de Kirk Douglas. Deixei lá uma resposta.
Abraços!

Nirton Venancio disse...

(comentário corrigido):

Caro Armando,
passando por aqui pra viver o cinema em sua pureza. Seu blog sempre me dá essa sensação, esse prazer.
Eu que faço cinema sinto muito a falta do cheiro das latas de celulóide. Mas tenho que entender e aceitar a realidade asséptica do digital.

Valeu seu comentário no Olhar sobre os filmes de Kirk Douglas. Deixei lá uma resposta.
Abraços!

Lygia Prudente disse...

Armando! Ninguém melhor do que eu para saber a sua paixão por cinema. Também o perfeccionismo que caracteriza as suas postagens dão sabor a quem o visita. Partilho sempre tudo isso. Um beijo, Lygia

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

'Tô passado o endereço de seu blog IMEDIATAMENTE para meu filho mais novo...
BJS!

Edmundo disse...

Vim agradecer a visita e rapaz, encontrei aqui em seu blog um tesouro para investigar :) É que estou fazendo o curso de Comunicação: Cinema e audiovisual e v. colocou fotos excelentes para ilustrar o que "vejo em teorias". E sim: os cartazes são um fetiche. Quando comecei o flog, era mais para postar os cartazes, somente de filmes antigos por sinal e pouco comentário. Mas depois, fui criando coragem e comentando de modo superficial os filmes... e tomei gosto! :) Grande abraço.